segunda-feira, 13 de agosto de 2012

descontinuidade


Eu e a realidade somos inimigas. Moramos juntas, mas não suportamos nos ver. Meu quarto fica no sótão, o dela no térreo. Quando topamos uma com a outra, é só zombaria: ela ridiculariza minhas asas quebradas, eu suas antenas parabólicas.





15 comentários:

Maria Muadiê disse...

Sei como é. Eu com minha cabeça tão distante dos pés.

M. disse...

Sempre maravilhoso ler suas perolas. Bjs

Anônimo disse...

Vocês duas jamais poderiam se dar bem mesmo. Afinal são o retrato fiel da contradição : a que tem as asas quebradas mora no alto, a que tem antenas mora no térreo. Assim, pra uma é impossível voar, enquanto para a outra a captação dos sinais torna-se bem mais complicada. Talvez seja melhor vocês inverterem as posições. Tentem! Não garanto que terminará tudo em paz, pois também conheço a Sra. Realidade e sei da sua teimosia. (rs)

Abraços,
Anônimo I

aeronauta disse...

É verdade, Anônimo I; coitada da realidade, pois que no térreo não consegue captar os sinais na sua antena parabólica (rá rá rá)... Bjos

aeronauta disse...

Maria Muadiê e M.: Grata por estarem sempre aqui, mesmo com um tempo tão nublado para blogues.

Tania regina Contreiras disse...

Comigo não é diferente, então sei bem como é...rs

Abraços,

Lidi disse...

Lembrei de Freud: princípio do prazer x princípio da realidade. Sempre essa senhora para podar as nossas fantasias. Também não nos damos muito bem. Bjs

Carlos Rafael Dias disse...

Oi Nauta, acabei de voltar do espaço, a bordo do curiosity, e estou atrás de novidades. Aqui tem..

Carlos Rafael Dias disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Carlos Rafael Dias disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
aeronauta disse...

Tânia e Lidi: Obrigada pela visita.
Carlos Rafael: tanto tempo, hein? Que bom que você voltou!

Sandra disse...

Descontinuidade...título que me remete ao cerne de minha formação acadêmica. O texto porém...me remete ao potno mais profundo de meu ser. Você é linda com as palavras...para a realidade reserve a feiura...rs. Amei o escrito Ângela! Irônico, bem humorado e despojado...uma roupagem que estimo ver em você. Grande abraço!

aeronauta disse...

Oi, Sandra, obrigada, você sempre tão generosa com meus escritos! Grande abraço.

Naiana P. de Freitas disse...

Perfeito!!

Como se pode escrever tão pouco e dizer tudo?

"ela ridiculariza minhas asas quebradas" ótima imagem poética, acredite imaginei tudinho...

abraço apertado,
:D

Pedra do Sertão disse...

Muito bom conhecer esse blog...anotei na lista.

Voltarei,

Abraço