segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Só nós dois

Não há nada a dizer. Apenas que os dias continuam passando e eu fora de mim. Eu longe de mim. Andando num país que não existe, por ruas invisíveis, cultuando cantigas que só eu e o vento ouvimos. Só eu e o vento - andando por aí, roubando alguns sonhos de quem se deixa levar por nós. Poucos se deixam. Muitos estão ocupados em existir, existir, existir... Há uma busca insistente pela vida, enquanto que eu e o vento pouco buscamos: sabemos apenas balançar árvores, folhas secas, papéis que andam soltos pelo mundo, sentindo texturas de peles que se deixam tocar. Apenas isso. Nada mais do que isso.

2 comentários:

Luíza disse...

o vento realmente eh uma otima companhia.
gotei do teu texto!
Abrac,os!

Personagem Principal disse...

Dia desses senti o vento. Senti mesmo, de me dar conta de que ele embolava meus cabelos. Um prazer imenso por poucos segundos.