sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

então é natal


As vidas bem organizadas. As vidas com panetone e amigo-secreto. Com ceia de Natal. Talvez a maioria das vidas seja assim: tudo no lugar, sem sobras, sem transgressão. Tudo nos conformes. Badaladas da meia-noite e abraços de confraternização. Música de Simone "então é natal, o ano termina" tocando na sala e a família com cara de beatitude, riso traduzindo uma felicidade singular, dessas condicionadas o máximo possível. Há, sim, vidas assim. E muitas. Será que os padres sabem? Sim, os que ministram a Missa do Galo? Será que os padres sabem? O que eles verdadeiramente acreditam depois de tantos e tantos anos de repetição? O que se pode trazer de genuíno diante do desgaste, do terrível desgaste da repetição?
Não sei e não quero saber. O que me intriga mesmo é que todas as vidas pretensamente organizadas se organizam mais ainda nessa época. É um tal de corre corre para pegar o shopping ainda aberto e comprar o presente de fulano, oh fulano como pude me esquecer?, ou então o enfeite da árvore, aquela bolinha vermelha que achou de quebrar antes da festa. Lojas há milênios se enchem de gente comprando sapatos, num azáfama de primeira vez. Lojas há milênios se enchem de gente comprando roupa, num azáfama de primeira vez. Repete-se, repete-se, repete-se. São as vidas bem organizadas; tudo nos conformes, pai e mãe abraçando filhos sadios e limpos e bem-arrumados. Cabelos cortados no cabeleireiro, vestidos comprados naquelas alamedas cheirando a um perfume do outro mundo do shopping salvador. Tudo tão certo, tudo tão certo. Casais nascidos um para o outro, rindo felizes entre um pitoque e outro no meio do jingle bell. Suor? Quem foi doido de não tomar um banho antes do abraço? Ainda mais na noite de Natal? Não, não, está todo mundo cheirosinho, não se admite fedor em reinos perfeitos.
E assim prospera a humanidade em mais um ano que se prenuncia.

11 comentários:

Maria Muadiê disse...

" Assim caminha a humanidade
Com passos de formiga
E sem vontade... "

Lulu Santos

Belos e Malvados disse...

Um texto extremamente belo, verdadeiro e triste.

Banho Veneno disse...

Minha visão deste natal não é tão romanticaa...

Pronto
Os enfeites
todos enfileirados
cegos
Quantas cabeças rolaram?

Nunca uma noite
Será igual
Neste dia alguns choram
E sorridentes
Penduradas
As cabeças giram
Histórias sem fim.

Bípede Falante disse...

Querida Aero, um feliz Natal para você e para a sua família :)
beijos

Carlos Barbosa disse...

Oi, Aérea Persona, faltou água por aqui na noite de Natal e agora não encontro meus óculos. No hotelzinho não há armário nem frigobar e todos os barulhos do universo marcaram encontro no posto de gasolina ao lado. Dormi feliz ao lado dela. Tomei meus remédios e botei colírio nos olhos pela manhã. Dentro da vida, vamos. Uma pena que a gente não tenha se encontrado antes, aí em Salvador. Aqui é agreste mas doce. O caso é que o sertão não desgruda da gente. Em 2011 tudo será diferentemente igual. Abraços, tudo de bom hoje e sempre. (carlos barbosa)

Flamarion Silva disse...

Feliz Natal, Ângela!
Beijo.

aeronauta disse...

Queridos amigos:
Minha internet está a passos tartaruguenses, além de caindo das pernas. Isso me impede de fazer uma visita aos blogs de vocês como tanto gosto de fazer. Deixo, portanto, aqui, um abraço bem forte para cada um de vocês.

Chorik disse...

Talvez sejamos todos uns fingidores, fingimos tão bem que até nos enganamos, porque no dia seguinte a vida segue como d'antes.

Nilson disse...

E o comércio vendeu 13% a mais este ano: 13% a mais de felicidade e perfeição também???

M. disse...

Li e reli este post inúmeras vezes e não consegui comentar. Ele realmente me comoveu. Lembrei dos meus Natais, de todos os meus Natais. Nunca houve um Natal feliz, perfeito. Nunca houve nem sombra disso. Mas eu, talvez por estupidez, sempre estive buscando. E este ano, finalmente, percebi que continuarei buscando Natais melhores junto da minha família nada perfeita...

Bjs,

M.

Bernardo Guimarães disse...

a cada ano minha aversão a tudo isso só faz crescer!...