terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

epígrafe tardia

Tempo de madureza, em que despencamos de árvores altas e tristes, e carregadas de frutos. Essa foi a última frase que me restou de um texto enorme que acabei de escrever e a internet fez sumir no vazio. Não consegui salvar e o que escrevi desapareceu. Restou essa última frase, que talvez eu possa reaproveitar num tempo próximo; tempo em que memória e queda são uma única coisa.

5 comentários:

Bípede Falante disse...

Sinto-me desolada quando a Internet rouba-me as palavras e as envia para um lugar inacessível. Que dó que o seu se foi ainda que tenha restado essa belíssima frase.
beijo.

Marcantonio disse...

Triste. Fazer o que? Mas, acho que desse extravio, você fez uma bela alquimia simbólica. Memória e queda...

Abraço.

Chorik disse...

Sacanagem da grossa essa da dona internet. Aero, escreve num word, salva bonitinho, depois você copia e cola no blogger. Para o bem de seus fãs vampiros, que se alimentam de sua escrita.

Bernardo Guimarães disse...

chorik tem razão, cuide mais de nós, não confie na web, sob pena de ficarmos sem seus textos.

- Luli Facciolla - disse...

Nauta!
Passo por aqui pra ler o que perdi...
Pena que o texto se perdeu também...
Vim matar saudade!

Beijos