quinta-feira, 17 de novembro de 2011

"ensinar" literatura


A cada dia de meu trabalho como professora de literatura, sinto como é deleitosa e ao mesmo tempo dramática tal profissão. O que nos espera na universidade são, na grande maioria, alunos desamparados por não terem tido a oportunidade anterior de conhecer a literatura. Nós, professores, temos o desafio enorme de provocar a iniciação: em muitos alunos isso ocorre rápido, como alumbramento de sua própria vida, em outros tal coisa demora a ocorrer e, em alguns, infelizmente, a tarefa se transforma em algo doloroso, difícil, para ambos os lados.
O primeiro grande desafio é a desautomatização. Desvestir a literatura como disciplina é outro. E, a mais difícil, tocar o aluno, incitá-lo a ler, ele que leu pouco ou quase nenhum livro.
Literatura é alma, ou não é nada.
Literatura é uma "disciplina"? Dizem as grades curriculares que sim. Para mim, não. A burocracia dita as ordens do mundo: preciso preencher cadernetas e nestas, as notas. Mas, inicialmente, o que preciso mesmo é desautomatizar os alunos e encontrarmos, juntos, uma terceira via. Infelizmente, nesse momento não poderei ser Bartleby, por isso preencherei sim as cadernetas, eles terão a famigerada nota, mas isso é besteira; apenas uma necessária encenação para o seu posterior currículo.
O mais importante será a experiência que viveremos juntos ao longo de todo o semestre, no qual a nota será mero acessório. O mais importante, de fato, é outra coisa. Uma delas a nossa relação firmada num pacto sem dogmas, livre, como é a própria literatura. Nesse pacto desautorizaremos a autoridade e seremos amigos. No processo de busca de alumbramento para a vida, seremos companheiros procurando sentidos, ou a falta deles. Os livros intermediarão, como grandes protagonistas, esse encontro. Os livros nos transformarão. Nada, nada será obrigatório. Motivos para fazer chamada ou passar lista de frequência? Para quê, se ali engendramos a liberdade?
Literatura é alma, comunhão, humanidade, ou não é nada.

5 comentários:

Bernardo Guimarães disse...

passei aqui pra matar a saudade e assisti mais uma "aula"
bj

Lidi disse...

"Literatura é alma, comunhão, humanidade, ou não é nada." Verdade, Aero.

Sei que, como Bernardo bem observou, os teus posts são maravilhosas aulas, mas bem que eu gostaria de ser uma aluna tua, daquelas com o nome na caderneta e tudo o mais. ;) Bjs

Marcus disse...

Presente.

Sandra disse...

Presente, professora...rs.

Naiana P. Freitas disse...

Também acho que "Literatura é alma, ou não é nada." ainda bem que não acho sozinha..Só queria ter mais tempo para estar com ela sozinha. E conversar sobre literatura é melhor do que ter aulas burocráticas de literatura...eu até converso um pouco apesar de saber tão pouco sobre esse literário mundo mágico!!!
abraços apertados!!
:D