sexta-feira, 25 de novembro de 2011

os amantes


A arte vive dos relacionamentos humanos. Sempre em desencontro, os casais na maioria das vezes são "dois inimigos", como bem disse Drummond sobre os "dois amantes". Por que é tão difícil conviver, por que é quase impossível amar, por que as relações sempre acabam, por que... Paro por aqui com medo de me aprofundar ainda mais no clichê. Há esperança? Não sei, embora acredite que amor. A dificuldade está na possibilidade de viver o amor. Porque os homens ainda não sabem como conviver com a falta da hipocrisia, porque a hipocrisia se estabelece nas relações como algo que faz parte de suas entranhas, algo natural. E porque a não hipocrisia não consegue estabelecer diálogo profícuo com o amor. Este idealiza, sempre. Aí o que sustenta a idealização, para quase todos os casais, é a hipocrisia. Mas viver o outro no cru, na sua crueza de ser vivente no mundo, sem polimentos, é quase que impraticável. Com essa impraticabilidade é que a arte dialoga; quem sabe um dia a possibilidade de amar ganhe sobre as hipocrisias, e o amor, em seu estado totalmente natural, sobreviva às convenções e às desistências. E, como no final do filme "Manhattan", de Woody Allen, possamos acreditar que ainda existem no mundo seres que não se corrompem.


Imagem: Cena do filme "Manhattan"(1979), de Woody Allen.

7 comentários:

Lidi disse...

"[...] quem sabe um dia a possibilidade de amar ganhe sobre as hipocrisias, e o amor, em seu estado totalmente natural, sobreviva às convenções e às desistências."

É, amiga, quem sabe um dia. Bjs

Bípede Falante disse...

Talvez, seja um pecado imortal o que eu vou dizer, mas acho que o amor entedia rsrs
beijos :)

aeronauta disse...

Lidi, é preciso acreditar.
Bípede, você está certa, certíssima (rs).

Naiana P. Freitas disse...

Olá!!![não é um cometário rsos]
Ângela vilma!
olá!!
Aeronauta!!
Apareci!!
sumida,porque tenho que direcionar toda a minha atenção e inspiração para assuntos acadêmicos...meio sem prazer mesmo e muita obrigação!!risos

Naiana P. Freitas disse...

Boa reflexão..estava pensando em algo assim essa semana: convivência.É muito difícil, principalmente com os seus não amigos, não amores, não família...porque você não os ama e a convivência torna-se uma pontiaguda convenção que tem que descer garganta abaixo...quando ela é com os seres nossos, os afins você supera, porque acredita mesmo no amor que os une..E dizem por ai, que amor é isso:conviver..não sei muito ainda se é isso mais parece que ando acreditando [risos]ótima reflexão!!! :D abraços

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Aeronautamiga

O ditado diz tudo: Amor com Amor se paga. Simples, não é? É. Difícil é praticá-lo, como muito bem dizes.

Mas, se não o conseguirmos fazer, que nos resta? A hipocrisia será uma resposta, ou a resposta? Não deve, não pode ser. Uma venda ou a? De quem? De quê?

Logo, a saída, possível e desejável é , realmente, acreditar que ainda existem no Mundo seres que não se corrompem. Oxalá assim seja, ops,fosse...

Entretanto, deixo aqui um
aviso: Hjtksdt ywsqjhr mjvnzxc (*)

(*) Na nossa Travessa há extraterrestres

Qjs = queijinhos = beijinhos

Sandra disse...

O "amor natural"...será possível num mundo hipócrita e cheio de formalidades machistas?! Talvez seja quase impossível se amar assim. Os que porventura o fizeram não contaram a ninguém. Abraço Ângela.