segunda-feira, 29 de outubro de 2007

Procura-se

Não consigo me lembrar qual foi a primeira pessoa que não me amou, o primeiro gesto de rejeição, o primeiro desdém. Muito menos consigo me lembrar de meu primeiro ódio, meu primeiro esgar, ou minha raiva mais irada possível. De minha vida mais antiga só trago imagens inconclusas, todas elas em lusco-fusco, nostálgicas, nunca com sentimentos claros. Ora é o macaquito preto de bolinhas brancas que eu e minha irmã vestíamos quando nos mudamos da roça para a cidade, ora sou eu em minha primeira declamação de poesia da escola: aquele negócio de "quando era pequenina do tamanho de um botão, trazia papai no bolso e mamãe no coração..." etc. Mas raiva, raiva mesmo, não lembro de ter sentido na infância. Acho que fui neutralizada de qualquer raiva em razão de não me lembrar da primeira pessoa que não me amou. Quem seria essa pessoa? Em quais circunstâncias? Não há resposta, não há. O que ficou foi um abismo, um buraco, onde há muita raiva e muito amor dentro: os dois na mesma dimensão, com a mesma fúria: redemoinho que me leva para lá e para cá, num bruto estado de solidão. E que dá vontade de bater na cara, de esmagar alguém até ficar roxo o lugar da batida. Esse "alguém" tem rostos emprestados, sei que não não são esses os rostos que quero bater. Mas como achar a primeira pessoa que não me amou para dar uns bons tapas na cara? Sempre apanhei, nunca bati. Deve ser muito bom dar, além de uns sonoros tapas, um murro na barriga,um beliscão no braço... Nunca fiz isso. Apenas imaginei. E me calei. Lembro que teve uma época em que eu tinha um facão imaginário: através desse facão muitas cabeças foram cortadas. Era só eu encontrar uma pessoa com uma prosa ruim, a cabeça ia ao chão. Isso me aliviava. Mas agora o facão sumiu.O que fazer? Chega de amar, chega, chega! Procuro a primeira pessoa que não me amou, e aí acertaremos as contas.

10 comentários:

Personagem Principal disse...

Que negócio lindo é esse? Amo as finalizações dos seus textos.

Kátia Borges disse...

Lindo, Aeronauta! Que beleza de texto!

Kátia Borges disse...

Lindo texto! Quem foi mesmo a primeira pessoa que não me amou?

Renata Belmonte disse...

Eu me lembro da primeira pessoa que não me amou. E te digo, hoje, depois das feridas curadas: tive sorte por isso ter acontecido.
Beijos,
Renata

Carlos Rafael disse...

Eu também recitei "batatinha quando nasce, esparrama pelo chão...". Mas, acho que sei quem foi a primeira pessoa que não me amou. Até hoje desconfio de uma professora a quem chamavámos de Cega Salete (não era só eu quem a odiava). Pelo menos, acho que essa foi a primeira pessoa que não consegui amar...

Carlos Barbosa disse...

A primeira, a segunda e todas as pessoas que não te amaram são perdedoras, um monte de estúpidos a arrastar pesadas correntes. Afie a faca, aérea persona! Ou o facão, se preferir. Abr. Carlos Barbosa

Críticas Criticáveis disse...

A minha primeira paixao rejeitada foi a Luana Piovani, mas na mesma epóca me apaixonei d novo por uma menina a la Luana, lógico que eu não existia pra ela, na verdade todos os meninos do colégio eram apaixonados por ela. Eu sei o nome dela até hoje, o nome inteiro, porque jurei nunca esquecer. Lembro que fiz amizade com uma amiga dela só pra chegar perto dela. Nunca falei pra ela do meu amor. Depois de muitos anos encontrei ela novamente, e vejo que ela nunca fez o meu tipo mesmo, continua bonita, mas, não tem nada a ver comigo. Então se fui rejeitado ou não agradeço a ela. Eita...aeronauta viu oq vc faz comigo heheheh Voltei viu, tava viajando! bjAO

Personagem Principal disse...

Conheço, Nauta. Não vale nada... heheheh. Brincadeira. É amigo de longa data. :)

Renata Belmonte disse...

Querida,
Agradeço todo o seu carinho.
Mesmo sem nos conhecermos, nutro o mesmo por você.
Beijos,
Renata

Luíza disse...

acho que também não lembro da primeira pessoa que não me amou, mas lembro da primeira que mou sim.Um amor tão sem fundamentos que nem faz diferença aqui. Mas hoje.. ah, como eu amo algumas pessoas... e como é bom ouvir o mesmo de outras..

A respeito da solidão.. é, eu tento aproveitar esses momentos, mas como eles demoram pra passar...

Beijoss