sábado, 9 de fevereiro de 2008

O Livro de Preces

VISÃO

Olhar é comer teus olhos líquidos e
Beber tua boca salivosa, como se
Eu bebesse vinho a noite toda.
Comer-te inteiro, a alma no meio
Como tempero forte e sem retorno.

Olhar é ver um verdadeiro porto
E eu chegando, alegre, com meu corpo,
Com minhas pernas, com meu rosto,
Com meus cabelos soltos, e aquele vestido
Tão curto, tão curto, tão curto...

Ah, olhar é ver quase tudo:
o que há de nudez perversa no mundo,
o que há de mais dentro e mais fundo.


OFERTA

Se me quiseres, de verdade,
Te darei a minha carne, parte por parte.
Braços e antebraços, e, ainda mais, a face.
A face larga, o riso fácil, a boca aberta
À espera da guloseima certa.


*Dois poemas extraídos de O livro de Preces (inédito) da Aeronauta.

9 comentários:

Anônimo disse...

Aeronauta, seus poemas são maravilhosos, dignos da sua pessoa, ou de um livro.
Vc escolhe...
G.

Carlos Barbosa disse...

Uau! A veia erótica de Aeronauta pulsa na pista blogueira pela primeira vez. "O livro de preces", pela amostra, reúne alta poesia e o necessário calor, calor, calor, que torna a vida suportável. Belos poemas. Parabéns, abr. (carlos)

Críticas Criticáveis disse...

Concordo com Carlos, poemas quentes tssssss...hehehe...Qto a cidade, não tenho idéia, seu q eh no interior da BA, mas qual?

Mônica Menezes disse...

Tão lindos, tão lindos, tão lindos, Aeronauta, seus poemas eróticos. Beijos.

Críticas Criticáveis disse...

Nauta!!! Vc é mto má! hehehe bjus

Kátia Borges disse...

Lindos poemas. Sou sua fã incondicional. Bjs

Renata Belmonte disse...

Você e sua linda poesia. Sou fã!
Bjs

Carlos Rafael disse...

Discordo do meu xará (o Barbosa), pois em "Ela" você já tinha revelado a sua veia erótica.
A própósito, sem sua permissão, reproduzi esse post no blog caricult.com.
Abraço!

SANDRO ORNELLAS disse...

Essas suas preces, aeronauta, estão muito bonitas. O(s) objeto(s) das suas preces deve(m) estar encantado(s). Ou ser(em) encantador(es).