domingo, 28 de março de 2010

elegia


Passaram-se muito tempo dos dezoito. Dos vinte. Dos vinte e oito. Mas a neblina continua no para-brisa. O carro pifou na ladeira. A vista é linda: uma praia. A estrada é de pedra. Mas tudo parou, não foi só o automóvel. Meu corpo, numa magreza impossível, pesa litros e litros de nada, nada, nada. Esvaziei-me. Esquálida, fecho todas as portas. Não tem autoajuda que me salve. Nem literatura. Chegar aqui, nesse ponto do caminho, é extremamente clichê. Não tive filhos, marido tive um, e para quê? Estudei, guardei diplomas, trabalhei. Para quê? É muito besta fazer perguntas. Sabe-se que não haverá resposta. Nunca. Talvez na morte. Mas não quero morrer. Vivo como se fosse imortal, alheia à História e à mobilidade das coisas. E não sei viver, fico espantada como um girassol, olhando fixamente nada. Como é que se vive? Clarice vivia perguntando isso, enquanto Cecília cantava. Como é que se canta, Cecília? Minha voz, aos quarenta, desafina. E a casa, repleta de pássaros, se aquieta.


Imagem: "Elegía", por antolozaZD.
(www.flickr.com)

8 comentários:

Gerana Damulakis disse...

Que beleza, aero. Clarice perguntava e Cecília cantava.
Vc é incrível mesmo.

maria guimarães sampaio disse...

Aero, teu rosto tão bonito, tua risada tão gostosa... não combinam com teus escritos tão dolorosos (combinam na beleza).

I.Moniz Pacheco disse...

"Tem dias que a gente se sente, como quem partiu ou morreu..."

I.Moniz Pacheco disse...

Belos e tristes escritos. Tomo licença para também perguntar: como é que se vive?

Chorik disse...

Não fossem as perguntas o mundo não se movia. Para quê fizemos o que fizemos? Talvez porque viver seja experienciar e nossos espíritos têm gana de aprender.
Arrepare não, estou com sono.
Bj

Bernardo Guimarães disse...

beleza de texto! é para isso que se vive! admiro sua vida, invejo seu viver.

Marta F. disse...

Do caralho os comentários. Aos 43 também desafino, e vim elogiar os seus trabalhos.

Grata acrescentar.
Uma admiradora.

Nilson disse...

Minha voz, aos 40, também desafina!