terça-feira, 6 de julho de 2010

anatomias


Orides Fontela era louca, depressiva e só. Sylvia Plath se matou. Clarice tinha os olhos do além. Fernando Pessoa só não fez o mesmo que Sá-Carneiro porque criou heterônimos. Cecília era uma santa: sabia sofrer com beleza. Quintana, anjo. Bandeira era um Manuel forte, como todos os dentuços. Mário, vário, vivia sozinho, à rua Lopes Chaves, 546. Carlos Drummond... oh, Carlos, guache como todos nós, calado, amava. Rimbaud foi o único que viveu. Oswald gargalhou, forte, sem medo. Rubem Braga pagou cremação bem antes. Hilda Hilst bela, profunda, gritando seu Túlio, seu Túlio, insensível e mudo. Ana Cristina César também se matou. Assim como Sandor Márai. Assim como Pedro Nava. Assim como Torquato... Ai, dê-me asas, poetas mortos, dê-me asas. Graciliano era belo homem, que sorte a de Heloísa. E Aracy, de Guimarães, imaginem o quão feliz essa não foi? Muito mais que Felice Bauer, muito mais que Milena Jesenská. E Maria Kodama? Neruda não a amaria, mas Borges sim, acredito que sim, a amou. Oh, Vinícius, pleno! Que tudo sabia da mulher amada, que enaltecia a mulher amada, que tinha vício pela vida. Vinícius, sim, homem vital, carne e precipício, alma doada aos peixes. Lindos, Carolina e Machado. Invencível pra mim só Gregório. Etéreo, Cláudio. Dos completamente esquecidos, Genolino Amado. Venham todos, venham todos! Até os vivos, que nem é tarde!



Imagem: Trakt-2, por gert voo in't holt.
(www.flickr.com)

8 comentários:

Chorik disse...

Você me assustou um pouco. Crie mais codinomes se preciso for. E sua invocação foi tão bela que até eu que não sou ninguém tô indo. Me aguarde.

Bjs

Gerana Damulakis disse...

Que delícia de texto! Encontros e desencontros com eles e com os amores: coisa de poetas, coisa de gente.

E Amado que soube amar intensamente sua Zélia... Fiquei lembrando de exemplos de amores e de vidas desse pessoal que escreve.

M. disse...

Texto magnífico, mulher alada. Como é bom te ler.

Maria Muadiê disse...

que texto lindo!
meu preferido dos últimos tempos....

Lidi disse...

Que texto magnífico, concordo com M. Você já tem asas, Aero. Beijo.

Nilson disse...

Lindo mesmo!

Terráqueo disse...

Genial!

Terráqueo disse...

Genial!