domingo, 16 de dezembro de 2007

Escrever

O que faz a gente parar de escrever? Talvez este seja um bom mote para um domingo feio. Nunca me esqueci daquela pergunta de Rilke ao jovem poeta Kappus: "morreria, se lhe fosse vedado escrever?" Se sua resposta for "afirmativa", diz o poeta, "então construa a sua vida de acordo com esta necessidade".
Muitas pessoas acham somente romântica e idealizada tal pergunta rilkeana.
Eu não. Desde os doze anos sou impelida a escrever, obrigada a escrever. Algo de não-sei-onde me manda ir escrever, como se gritasse no meu ouvido: escolha: ou você escreve ou você mata alguém. Ou você escreve ou você se mata. Sei lá, coisas dramáticas assim.
Mas Raduan Nassar está aí para confirmar que é possível parar de escrever.
E muita gente que escreve e está feliz nesse momento pode afirmar: não quero escrever, sobrevivo se me fosse vedado escrever. E não escreve e pronto.
Borges estava certíssimo ao afirmar que a felicidade é estéril, e que a infelicidade quer ser transformada em alguma coisa. A felicidade é assim: a gente fica alegrinho, bobinho, dá muitas risadinhas, se arruma para esperar o namoradinho, e dão juntos muitos abracinhos, beijinhos, tudo no diminutivo, tudo no diminutivo...
Não estou aqui fazendo apologia ao sofrimento, de maneira nenhuma. Faço apenas apologia à possibilidade de poder transformar minha infelicidade em alguma coisa.

4 comentários:

Renata Belmonte disse...

Escrever é a minha forma de resistência nesse mundo. Bjs

Críticas Criticáveis disse...

A Escrita é a voz do alguém que está dentro de nós ou de nós mesmos

SANDRO ORNELLAS disse...

escrever, aeronauta, por si só, basta para definir uma vida. não importa o escrito, importa que se escreve. escrever é um estilo de vida. nas entrelinhas da escrita, as entrelinhas da vida de quem escreve. sempre notamos se a escrita é encarnada ou não. "e todo o resto é literatura" [sempre quis usar essa citação...rs]

Naiana P. Freitas disse...

Escrever é um bom exercício pra conseguir viver, quando se pensa muito e a felicidade é vazia. Eu penso nisso: "Faço apenas apologia à possibilidade de poder transformar minha infelicidade em alguma coisa."
e quase não falo sobre isso, porque já me disseram que sou desiludida..entendo muito bem isso, muito bem.
abraços apertados.viu?