quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

de novo


É mesmo perseguição, Noel está vindo de novo. Um monte deles, todos gorduchos e felizes, pregados em portas de doces lares e de prósperas lojas. Junto com ele, milhares de árvores cheias de bolas coloridas, e o azáfama de pessoas comprando sapatos e roupas. Natal para mim sempre foi sinônimo de solidão. Só quando criança, embalada pelo interesse nos presentes do velho Noel, me animava; me animava até receber o que queria; no dia seguinte voltava a ser tudo igual de novo. Natal é solidão, e Jesus Cristo soube profundamente dessa verdade. No interior da década de sessenta nascer merecia fogos de artifício. Quando nasci pai soltou milhares. Talvez vem daí minha aversão a festas, a bombas, a alegrias destemperadas. Com certeza me assustei com aquela estupidez na porta de casa, com o entra e sai de vizinhas curiosas em conhecerem minha cara, com tanta euforia sobre algo tão rotineiro e solitário. Nascer é profundamente solitário, assim como viver e morrer, e isso que estou falando é puro truísmo, todo mundo sabe, mas não custa nada repetir. Não custa nada repetir quando o Natal de novo se aproxima, quando todo mundo se apruma num vestido novo e num sapato da moda; quando as pessoas se apegam tristemente à repetição das festas para se sentirem, coitadas, um pouco felizes, soterrando para o mais fundo de si a verdade mais dolorosa e íntima, a que estão inapelavamente sozinhas.

5 comentários:

Marcus disse...

Também ando de saco cheio.

Lidi disse...

"Nascer é profundamente solitário, assim como viver e morrer [...]"

Doloroso e verdadeiro. Bjs

Chorik disse...

Venha passar o Natal conosco! Já que é pra sofrer, sofremos juntos.

Gerana Damulakis disse...

Concordo inteiramente com seu ponto de vista. Bjoca, querida.

Naiana P. Freitas disse...

é quanto mais o tempo passa você se dá conta desta verdade:" as pessoas se apegam tristemente à repetição das festas para se sentirem, coitadas, um pouco felizes, soterrando para o mais fundo de si a verdade mais dolorosa e íntima, a que estão inapelavamente sozinhas." ...Eu quero voltar para quê saber disso..deveria me contagiar..Mas, para isso só se natal fosse vírus.. parece que o natal de 2010 foi ontem, ou estou com ótima memória?