terça-feira, 15 de abril de 2008

Balas de mel

Tem dias assim que não são para viver. São para escrever, para lembrar, para ler, para olhar a tarde morrer. Nunca me esqueci do gosto da primeira bala de mel que chupei: o mel do finzinho da bala era o prêmio: desceu grosso pela minha garganta que pouco conhecia muitos sabores. Lembro que era uma bala partida ao meio: um pedaço para mim, outro para minha irmã. Nem foi por questões de economia, foi por questões de bizarrices de mãe mesmo. Desde cedo, pois, tento aprender a viver pela metade, o que não é coisa que preste para ninguém. Sempre dividi com minha irmã muitas coisas: quarto, atenção, amigos, sorrisos, carinhos. Nesse meio a meio a sabida de minha irmã saiu ganhando, claro. Na hora de dividir nunca consigo tirar um taco maior, nem que seja por displicência. (Leva-se em conta aqui a questão de que jamais há a possibilidade de se dividir algo de igual para igual. Então, quem for sabido que vá lá e tire nem que seja uma lasquinha de vantagem.) Sempre fui lerda para isso; às vezes tirava o taco menor, por pura vontade de não ser vista. E assim pela vida vou andando: dividindo, dividindo e diminuindo...
Numa coisa mãe foi sábia: nunca deixou dividirmos os mesmos livros da escola. Ela dizia que livros de escola não se dividia: cada uma com o seu. Ah, que delícia poder ter meus livros! Acho que nasceu daí o gosto pela exclusividade... que levei vida afora misturado ao gosto contrariado pela divisão.
Para os politicamente corretos volto a dizer: não quero mais dividir, principalmente bala de mel. Quero uma só para mim. E que o gosto grosso do mel desça inteiro pela minha garganta, e que eu saboreie infinitamente o prêmio da exclusividade. O mesmo que fez com que eu nascesse.

3 comentários:

Carlos Rafael disse...

Sua literatura é uma doce mel que desce inteiro pela alma

Luíza disse...

E que valha a pena cada bala de mel e cada livro lido.
Beijos

Críticas Criticáveis disse...

Sua mãe não dividiu qdo te deu todo o talento pra escrever tão bem, vc é uma poeta, uma escritora por INTEIRO!