quarta-feira, 29 de julho de 2009

cantando no escuro


pessoas são coisas fluidas, que meus sentidos jamais alcançam. Por isso, enquanto olho para você, busco sempre uma outra coisa; não o que sua roupa mostra, nessas calças já curtas; nesse paletó disforme, nessa camisa com cheiro forte de suor. Mesmo nas vezes em que você se veste melhor, com camisas de mangas compridas, calças novas e barba feita, não é isso o que vejo. Vejo apenas o que escorrega, um fingimento no olho esquerdo, o olho direito ficando cego; pernas bamboleando numa maneira esquisita de mostrar sempre o avesso. Nessa vigília morro aos poucos, buscando um único signo, um único, que possa dizer tudo.


Imagem: "Cielo del desengaño", por Thomas Guitar.
(www.flickr.com)

5 comentários:

Renata Belmonte disse...

Amiga,
Apenas repito o que já escutei de você: pessoas são buracos negros. Abismos.
Beijos,
Renata

M. disse...

E como é difícl ver, não é mesmo? Beijos, M.

Janaina Amado disse...

"Pessoas são coisas fluidas".
Adorei também o fingimento no olho esquerdo.

Gerana disse...

Todavia há as pessoas sólidas.
E nós podemos apreciar sua inteireza, a de cada uma.
Vc é sólida, aeronauta.

Edu O. disse...

Que imagem linda: foto e texto