terça-feira, 18 de agosto de 2009

Diante da lei


Como dois seres diante da lei, te espero em casa. Escolhi, de muito bom grado, uma calcinha vermelha, um sutiã vermelho, e um lindo, lindo vestido vermelho. A lei nos espera, como quem tem hora marcada; por trás dos telhados, dentro das portas dos sanitários, nos buracos das fechaduras: a lei nos olha. Que importa? Diante da lei seremos mortos? Que importa? Importa é que toques no ponto mais erótico de minha alma, e o resto que se dane. Se quiseres, matarei o primeiro porteiro, o segundo, o terceiro, o quarto, o quinto, até chegar ao grande soberano. É justo chegar até ele. Chegaremos juntos, se quiseres. Se não, me espere, até que eu, sozinha, mate todos eles. Não restará vestígios de qualquer delito, pois que diante da lei não se pode ser ingênuo. Guardarei minhas inocências sob o tapete do soberano, empurrando-as, uma a uma, para fora do mundo. Estarei frente a frente com ele, num espelho. Calma, me espere em casa. Estarei indo, de vermelho.



Imagem: "amarelo sob vermelho", galeria de orxeira.
(www.flickr.com)

11 comentários:

Gerana Damulakis disse...

Fascinante o visual vermelho, cada palavra, o ritmo, a coisa toda envolvendo...

Bernardo Guimarães disse...

que texto! vermelho-fogo,vivo. deliciosamente erótico. ah,o que o vermelho provoca...

Nílson disse...

Uau!!! Muito bom!!!

Chorik disse...

Você ficou vermelha quando escreveu?

Ricardo Dib disse...

Com tanta matança, o vermelho vai se intensificar ainda mais com o sangue vertido.
Vermelho-fogo, vermelho-pecado...

Diogo disse...

humm Nauta a Dama de Vermelho :)

Lidi disse...

"Diante da lei não se pode ser ingênuo." De fato. E se o personagem kafkiano bem soubesse, tinha levado você para acabar com todos os porteiros. E vestida de vermelho! Um beijo.

Janaina Amado disse...

aeronauta, este texto está lindo, lindo, lindo. Tem a força dos mitos.

eu mesmo disse...

O vermelho salta aos olhos, vai além do visual.
Vermelho é o odor do desejo;
é o sabor do prazer;
toda a delícia do tato do corpo que se arrepia;
da boca que entumesce;
dos amantes que se envolvem;
é o cheiro do prazer por entre cada fresta do outro.
Vermelho é a vontade de estar no outro, e, assim, por poucos minutos, sentir-se pleno em gozo.

(João Neto)

Domingos da Paixão disse...

Dizem que o vermelho é a cor do amor e da paixão. Ao amor e a paixão estão atrelados o prazer e o erotico. E diante desta lei que nos enlouquece devemos nos envolver e se entregar pr inteiro.
belsissimo texto.

glaucia lemos disse...

Quanta beleza plástica contém este texto! A sugestão dos crimes vai tão suave que não chega a chocar a grandeza do texto. A simbologia do vermelho tingindo e envolvendo tudo é forte, muito forte. A lei espiando pelas frestas e buracos da fechadura, uma imagem e tanto.
Um segredo:Também sou apaixonada por vermelho, não conte a ninguém. rsrsrs Um beijo.