quinta-feira, 10 de setembro de 2009

diminutivos


Tenho pavor a diminutivos. Herdei tal pavor de mãe, que odeia se chamar Terezinha. Cresci ouvindo sua revolta ecoando pelos corredores lá de casa. Minha intuição ficou, acredito que por conta disso, aflorada diante dos diminutivos. Mãe, nas suas várias encarnações, intuía o peso deles; o peso não, sua inconsistência. Diminutivo não me convence. Tenho medo de gente que insiste em mostrar sua ternura com diminutivos: lindinha, queridinha, fofinha... argh! Te esconjuro!
Linguagem é coisa séria: rastros que nossos instintos bem detetivescos caçam e lêem, com a alma. Até hoje meu instinto, portanto, com relação aos diminutivos, nunca me enganou: sufixos sem expressividade, retratam o vácuo e o perigoso que há no falso.
Mãe é uma pessoa autêntica: por isso nunca gostou do nome que lhe deram. Que nos perdoem Santa Terezinha, coitada, mas esse inha, esses inhos parecem mais ganidos pavorosos. Não, nada contra os cães, mas contra essa gente diminuta que, em falsete, não sabem embalar sua "ternura".



Imagem: "partículas de identidad", por García Peña.
(www.flickr.com)

7 comentários:

Gerana disse...

Lembrei de minha avó, que eu adorava, ela me chamava Geraninha. Jamais alguém me chamou assim, apenas ela, tenho tanta saudade de ouvir um Geraninha.
Nem sempre o diminutivo diminue, às vezes é carinho. Infelizmente, a gente vive numa selva e, aí, a maneira que vc coloca o assunto do diminutivo realmente procede.

maria guimarães sampaio disse...

Quando eu precisar me internar vou levar este seu texto. Enfermeira adora... volte pra caminha, sente um pouco na poltroninha, a injeçãozinha, dê o bracinho, vire a bundinha e aí eu pergunto a elas: e no cuzinho... vai nada não?
Na semi-uti uma me ofereceu um MINGAUZINHO, respondi: a senhora me acha com cara de doente para tomar mingau?

Bernardo Guimarães disse...

a prima acertou na veia!

Nílson disse...

E tem o baianês dissimulado: 'poso dar uma 'passadinha'? Vc me dá uma 'licencinha'? Irritante!!!

Anônimo disse...

Isso mesmo...abaixo aos "inhas"...coisa chatinha rs
O que me trouxe aqui foi a necessidade de reencontrar a tua elegância no trato das palavras...e é claro tentar chegar neste nível um dia!!!rsrsr
Beijus

Carlos Rafael Dias disse...

Confesso, meio constrangido depois de tanta manifestão anti-inho, que gosto quando sou chamado de carlinhos. Só quem me chama no diminutivo são o meu irmão mais velho e os amigos de infância.

LIRIS LETIERES disse...

ÔôÔ... MAS EU SÓ GOSTO DE CHAMAR "MAINHA"...