sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Arte bonita


Se Mallarmé estava certo e, de fato, tudo existe para resultar num livro, posso dizer que acordei cedo hoje só para ler microscopicamente essa frase de Mário de Andrade, solta num ensaio: "(...) artes mais ou menos bonitas que gozaram e gozam, com justiça, as galas e regalias da prostituição".
Soco na barriga.
O que seriam, hoje, "artes mais ou menos bonitas" gozando, "com justiça", as "regalias da prostituição"?
É arriscado responder a essa pergunta. É dar o pescoço à guilhotina.
Ainda mais agora que a aeronauta já tem rosto. E endereço no mundo.
O que seria arte bonita vivendo na prostituição?
E os escritores prostitutos? Onde estão? E o que é ser escritor?
De braço dado com o maniqueísmo sempre lutamos para defender os nossos, colocando-os em altares, livrando-os de toda má língua.
A literatura, a arte, que bom, evola-se do homem que a fez nascer.
O homem é uma peste, é um anjo, é uma peste e é um anjo, mas cria algo maior de que uma peste e um anjo.
Nas superfícies da história estão as "artes bonitas" que se prostituiram na sua época, ganhando muito em troca como publicações e nomes em voga, para depois entregarem os pontos de sua beleza diante de um leitor indiferente.
Kafka foi à luta para publicar seus livros. Fazia leitura dos seus textos nos cafés. "Não se isolou". Mas sua arte nunca foi bonita.
Cruz e Souza, conforme atestam os críticos, também participou de rodas literárias para depois "se isolar" em sua chamada "torre de marfim", morrendo na mais absoluta pobreza. Mas sua arte nunca foi bonita.
Drummond não quis saber de academia brasileira de letras, e sua timidez ganhou status de refinamento e respeito. Mas sua arte também nunca foi bonita.
O que é, afinal de contas, uma "arte bonita"?



Imagem: "Havaianas e acessórios em tecido", por cintiacmc25.
(www.flickr.com)

6 comentários:

Bernardo Guimarães disse...

eu achava que toda arte era bonita. depois de seu texto, quem sou eu pra achar nada?
aqui pra nós, que ninguem nos leia: acho que vc é escritora e sua arte, mais do que bonita.

Chorik disse...

Arte bonita é texto de aeronauta.

I.Moniz Pacheco disse...

Seus textos são um bom exemplo de arte bonita.
Mas arte é arte e cada um pode ter sua definição. Para mim a arte é controversa. Sempre.

Janaina Amado disse...

Não sei responder a essas perguntas... o texto do Mário me pareceu rancoroso. Para mim, toda arte de boa qualidade é bonita; de má qualidade, feia. Fui simplista!
Beijo pra você, e bom domingo.

Gerana Damulakis disse...

Nessas horas, sempre concluo que não é sempre que se deve levar Mário a sério.

Nílson disse...

Me ocorreu que a beleza nem sempre é 'bonita'.