sábado, 10 de outubro de 2009

Poeta Baiano


EURICO ALVES:



DESLUMBRAMENTO

Diante da tua beleza e do silêncio da tua alma,
a minha alma fica feito uma criança
que folheasse inocentemente um livro de missa...



TRANSUBSTANCIAÇÃO

Um pouco de leite fresco, orvalhado que dormiu ao sereno...
Ah! Eram os teus seios pálidos de frio
dentro das folhas trêmulas sonhando...



ORAÇÃO

Ave, Senhora feita de árias de luz!...

As minhas mãos múrmuras beijam-te os pés.

E, se nunca hás de viver no meu amor,
deixa a tua alegria bailando no meu pranto,
para o deslumbramento interior da minha angústia.





*In: ALVES, Eurico. Poesia. Salvador: Fundação das Artes/Empresa Gráfica da Bahia, 1990.

Imagem: "apego".
(www.flickr.com)

3 comentários:

Lidi disse...

Eurico, poeta baiano, feirense. E poucas pessoas dessa terrinha conhecem. Uma pena!

Gerana disse...

Belos versos pinçados.

I.Moniz Pacheco disse...

Ah, como é bom me deparar com versos lindos como esses num dia chato como este.