quinta-feira, 22 de outubro de 2009

"Inscrições antigas"


LIVRO DA PELE

Ricardo Nonato

Deites
Quero riscá-la
Desenhar no alto
De suas pernas
Inscrições antigas
Lembrança dos faraós
Rupestres dizeres de nada

Deites
De braços abertos
Que vou segurando
Seus ombros
Remando levemente
Sons de Orpheu.

É madrugada
Sua pele desliza no vale
Dos meus olhos
Para beber fluente
Da carne
De minha boca.

Deites
Quero riscá-la
Arranhar em você
As estrelas do meu peito.

Com língua enlouquecida
Derramar teus sumos
Sabores
Pelo chão de nós dois.

Deites,
quero riscá-la
Na colina das tuas ancas
Plantar sonho haveres
Tronco tombado
Em teu vale

Deites,
Quero
Tremular meu desenho
Borrar seu retrato
Em meu peito.

O borro do gozo
No amor.



Imagem: "Anima e corpo", por Amperora.
(www.flickr.com)

11 comentários:

Gerana Damulakis disse...

Muito bom. Eu não conhecia.Diga mais sobre ele e sobre a poesia q faz, vc sabe q sou curiosa.

aeronauta disse...

Oi, Gerana, Ricardo é meu colega de trabalho, professor de literatura; tem uma poesia grandiosa que requer publicação urgente. Depois publicarei mais poemas dele aqui. Um grande abraço.

Andréia M. G. disse...

Parabéns a Ricardo pela bela poesia e parabéns a você pela sensibilidade em percebê-la e nos apresentá-la. :-)

Antonio Sávio disse...

Linda poesia. Parabéns pelo post de muito bom gosto.

André disse...

As poesias do professor Ricardo são vales obscuros gritando pelo clarão de um interprete possuidor da mais fina sensibilidade. Com toda razão Aeronauta diz que precisam ser publicadas, elas carecem de atenção, pois remetem, em sua maioria, nas que ele já leu em sala, um amor inigualavel e eterno.

em.dor.fina disse...

Grande prazer ter sorrido com Ricardo na sua graduação. Grande batalhador! Alma leve e cheia de competência!

Maria Muadiê disse...

liindo...lindo...

I.Moniz Pacheco disse...

Belíssima. Sensualidade crua mas apesar disso delicada.
Obrigada por me apresentar poetas dessa qualidade. (Linda foto).

Domingos da Paixão disse...

Os riscos do amor, marcam além do corpo.Penetram na alma e fazem a mente perder os sentidos e ficar embebida nas nuances do prazer.

Mônica Menezes disse...

Linda. Sensorial.

Lidi disse...

Conheço Ricardo. De vista. Estudou na UEFS. Bom ter contato com a poesia dele. Bela poesia. Um beijo.