sábado, 18 de agosto de 2007

Sou uma aeronauta

Nunca consegui me achar dentro deste mundo. Sou uma aeronauta. O nome pode não ser lá muito bonito, mas é o que sou. O que me deram de batismo é somente um adendo. Não precisam saber que outro nome é esse. Com o nome que me deram muitos pensam que sabem quem eu sou. Que nada, não sou essa que tem o nome que todos pensam conhecer. Sou outra. Minha mãe, meu pai, minha irmã, meus colegas na escola, a professora, sempre diziam que eu vivia no mundo da lua: era a única coisa que sabiam, verdadeiramente, de mim.
Sempre tive embrulhos terríveis no estômago; por isso o blog de Personagem Principal, Júlia, Viviane, Clarice, Mansfield, despontou em mim a vontade de fazer igual: não dizer meu nome de batismo e escrever ao léu, escrever de uma aeronave distante, longe do mundo, e com uma furtiva esperança: ser amada.

4 comentários:

Personagem Principal disse...

Que diferença faz, não é? Quando eu nasci, não tinha nome. Chamavam-me apenas de "a que viveu", a "vivinha". Na escola, meu nome passou a ser E.T. Então, grandes coisas essa coisa de nome...

Eu gosto do seu, Nauta. E amei ver muitos dos meus no seu post. É a vaidade que eu quero postar um dia... hehehe.

Um abraço.

katherine funke disse...

mas um dia... um dia quero saber teu nome. só por saber. tá bom?

Renata Belmonte disse...

Você escreve do céu.
Beijos,
Renata

Lidi disse...

Às vezes, também me sinto um pouco "aeronauta". Creio ser por isso que estou me identificando tanto com o teu blog. Beijo.