quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

Amo, amo, amo...

O amor.
Não sei dizer o que é. Sei amar. Amo você que me lê agora, amo quem me olha de soslaio, amo meus alunos como só uma mãe ama. Amo as salas de aula e as paredes aguardando, na sua dissimulada superfície, os poemas que serão ecoados. Amo ensinar, como disse o professor Keating no Sociedade dos Poetas Mortos. Amo comer bolo de cenoura com chocolate. Amo mais ainda tabletes e tabletes de chocolate. Amo a Festa do Divino na minha cidade e a coroação do menino. Amo as lembranças de minha antiga casa, onde, nos meus seis anos, espiava meu pai tomar banho. Amo a minha libidinosa memória infantil, a força pura dos amores pulsando, os sonhos que só meus sentidos alcançam. Amo minha vidinha normal, você acordando e eu lhe vendo.

4 comentários:

Críticas Criticáveis disse...

All you need is love!

Personagem Principal disse...

Nauta, Nauta... se eu estivesse te vendo, diria que está com um brilho nos olhos diferente. hehehe. Bjão.

aeronauta disse...

Engraçado, Personagem, todos que me vêem ultimamente, dizem a mesma coisa. Estranho, não?

Silvia disse...

gosto mais da coroação de nossa senhora das graças dificilmente perco afinal fui graciada em coroá-la um dia e mesmo com as arrelias de maisa me tornei filha real dela e tenho minhas graças (várias) alcançadas