quinta-feira, 30 de outubro de 2008

"Lábio amargo"

Hoje acordei com um gostinho amargo na boca: aquele que sempre sinto quando percebo que os outros finalmente vêem que não sou aquilo que idealizaram. Não sou mesmo, gente. O fato de viver nas nuvens não me faz pessoa melhor. Nem mais lírica. Nem mais generosa. Nem menos fútil. Vivo no meio dos livros, sou pouco vaidosa, detesto ir ao salão pintar os cabelos brancos que me atormentam, detesto ter que fazer as unhas dos pés (das mãos não faço nem sob tortura), odeio ficar experimentando roupas nos provadores de lojas (nunca encontro o que gosto)... A enumeração não teria fim. Isso tudo não é pra dizer que sou melhor que os outros, ou pior; ou que não sou fútil e vivo preocupada tão somente com os problemas do espírito. Ou do intelecto. De jeito nenhum. Porém, volto a falar que uma das coisas que mais me atormentam é envelhecer. E olhe que já envelheci bastante para a idade que tenho; talvez pela própria preocupação nesse item. A preocupação é tanta que, incoerentemente, nunca me cuidei para retardar o envelhecimento. Minha irmã, mais velha um ano, demonstra muito menos idade que eu. Mas o fato é que sempre me senti velha: aos treze me considerava uma velhinha de bengala. Descobri esse trauma ao lembrar que quando eu tinha sete anos mãe me disse que eu não era mais criança. Não aceitava: por que eu teria que deixar de ser criança aos sete anos? Ainda me pergunto isso até hoje.

5 comentários:

Bernardo Guimarães disse...

e eu estou me sentindo péssimo por vc se sentir cansada e triste. ainda por cima, os cãlculos e a indelicadeza de lhe dar mais idade que tem, pode ter-lhe causado o sentimento e hoje.
que nada, menina, voltemos a brincar; hoje vai de que, picula ou chicotinho queimado?

maria guimarães sampaio disse...

essamenina... sou colega de sua irmã, adoro dizer minha idade. minha festa de 60, dia de são jorge, foi bacana! adoro aniversário. você, pelos meus cálculos, nem chegou aos quarenta... deixa a ilhéu contar a idade que ninguém vai te achar por isso. Meu irmão é dois anos mais velho e todo mundo pensa que ele é mais moço. Ambos andamos de bengala. Elegantérrimos. Eu, pelo menos, fiquei muito mais chique e empertigada depois da bengala.

Carlos Barbosa disse...

Ora, vc é Aérea Persona e isso é tudo. Abr, amizade, admiração, (carlos)

Anônimo disse...

Se um homem (os bons homens) sabem com o tempo, que diria tu, um encanto ininterrupto de ternura e generolisidade? Somos crianças, apenas não pedimos para estar aqui. Você dá conta, menina. Olha que tu inspira um bocado de gente...

Mônica Menezes disse...

Você é umna linda menina. Beijos.