sábado, 27 de setembro de 2008

Cosme e Damião


Na hora dos apertos maiores, colossais, de quem é que a gente se lembra? Dos dois, claro. São Cosme e São Damião! Oh, o quanto essa dupla já me ajudou! Confesso que sou uma pedinte de marca maior. Pedi aos dois para conseguir terminar minha tese, e prometi caruru para sete meninos. Consegui terminar. Mas fiquei de corpo mole pra pagar a promessa. Veio a hora da defesa. Pedi de novo à dupla pra me sair bem. Consegui. E dupliquei a recompensa: caruru para quatorze meninos. Mas nada de pagar a promessa. Isso levou quase dois anos. E o juízo martelando, aliás, os dois martelando no meu juízo, cobrando o que era de direito. E a preguiça encostando. Lembrei agora de um detalhe: no ato da promessa fui audaciosa - afirmei que a pagaria lá minha terra, na minha casa, com as crianças de minha cidade natal. Por isso a dificuldade toda para quitar o débito. Ou o corpo mole meu. Até que um dia dei um basta e resolvi pagar o que devia. O diacho era encontrar quatorze meninos num lugar em que não conheço quase ninguém mais. Então o jeito era eu procurar de um lado e mãe de outro. Resultado: na hora do almoço, na casa se encontraram uns trinta meninos! Assim, estou com crédito. O que vou pedir mesmo?

8 comentários:

Janaina Amado disse...

Gosto dessa história de pagar promessa com comida gostosa, oferecendo aos outros sabor e cor.

maria guimarães sampaio disse...

Aero, por falta de menino... não há falta de pagamento a Cosminho. Os meninos aparecem não se sabe de onde. Você andou pela rua hoje? Chame-Chame, Calabar, Piedade, Vasco... onde se passase as rumas de menino esperando caruru, bom-bom, qualquer coisa.
Aqule cariru da foto estava uma delícia.
-----
Pensei de chegar aqui antes de Jana. Temos mais uma dica a confirmar minhas deduções. Ensinas na Universidade, defendeste tese...

Bernardo Guimarães disse...

Mestra Aero ou Doutora Nauta?
Que Cosminho nos ajude Maria, a desvendar este mistério. Prometo um caruréu pra nós dois; três, se Miro chegar a tempo.

M. disse...

Mulher Alada, posso dizer a Maria que ela tá quente? Se não, não publique. Bjs. M.

maria guimarães sampaio disse...

M.,
a coisa tá ficando quente mesmo!
Tem mais... Mestra Aero/Dra. Nauta, não é difícil perceber, é da área de letras. Matemática nem pensar.
-----
Aero,
bacana os meninos no cariru de Cosminho. Foi no que você pagou promessa lá na Chapada? Em Andaraí?

maria guimarães sampaio disse...

Aero, respondendo à resposta/pergunta lá no continhos.
Andaraí apenas intuição, quando você conta histórias de sua terra, penso em Andaraí. O jeito manso transmitido na escrita me leva à Andaraí.
Desde menina andei por aquelas bandas, desde o tempo em que não existia "Chapada Diamantina", do tempo em que íamos às "LAVRAS DIAMANTINAS". Desde o tempo em que descíamos escorrega aqui agarra ali para chegar até a entrada do Poço Encantado dentro da Fazenda Iguaçu (se não falha a memória)ou Igatu? Creio que Igatu é uma vila ou cidade.

Menina da Ilha disse...

Como você sabe, sou exagerada em tudo. Para não morrer na cirurgia e deixar filho pequeno, prometi caruru para a vida toda. Quando senti que estava vivíssima e percebi que tinha exagerado na promessa, já era tarde. Os danadinhos não sabem negociar quando se trata de caruru.

Kátia Borges disse...

Pois hoje, justo num caruru de cosminho, um colega nosso de blogosfera ficou louco para saber a identidade da Aeronauta. Claro que não revelei. Mas o importante é que ele foi só elogios ao blog.