sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Esse texto é pra vocês

Gosto de imaginar essas pessoas todas que passam por aqui. Pessoas que são, mais de que seres virtuais, viscerais: Bernardo, Maria Sampaio, Personagem, Críticas, Carlos Rafael, Marcus... Fico pensando se eles um dia me reconheceriam na rua. Ou se nalguma tarde já passamos lado a lado na calçada. Ou se, melhor ainda, numa manhã na livraria nos debruçamos sobre a mesma estante... Quem sabe? Também fico pensando como seria um encontro nosso. Essa idéia, logo que penso, rechaço. Todos esses seres virtuais e viscerais têm uma imagem minha que nunca vai corresponder ao que de fato sou. Aeronauta é um personagem. Eu sou eu. Parafraseando Deus, sou apenas "aquela que sou". Não tem um adjetivo que me justifique ao mundo. "Sou" apenas, repito.
... Enquanto que a Aeronauta vive atrás de coisas, correndo atrás de motivos, de sentidos, de nuvens, eu apenas observo. Também não só é a Aeronauta que mora em mim: há uma legião. Mas é ela quem me dá mais sutileza, mais sensibilidade para poder ver vocês. Acreditem: vejo-os profundamente, sinto a textura do olhar de cada um... Afinal os sentidos que conseguimos através de nossos personagens servem para isso: para finalmente tocar o que nos parece invisível.

10 comentários:

maria guimarães sampaio disse...

Aero,
pensei que você era amiga de Marcus e de Personagem.
"Ou se nalguma tarde já passamos lado a lado na calçada" aí dá para você saber, passamos?
"Ou se, melhor ainda, numa manhã na livraria nos debruçamos sobre a mesma estante... " ah, essamenina... você quando me encontrar pode ir logo dizendo alguma coisa tipo Aero mandou lembranças. Quem sabe, você estará encontrando não comigo e sim com Guida? AH! Quando Guida Chega, você não faz idéia!
"Também fico pensando como seria um encontro nosso. Essa idéia, logo que penso, rechaço." Ou fia... rechace não!
Agora pra valer: tenho a maior admiração por gente como você que consegue se mostrar sem se mostrar. Sem ser exibida como "nosotros" que não nos basta o nome e tome-lhe retratos e quejandos. Ou seja, não é nem um pouco narcisa.
De signos nada entendo, mas um amigo pergunta: qual os signos da Aeronauta e de quem Aeronauta é alter-ego?
Beijos para todas de Maria

Bernardo Guimarães disse...

Obrigado pela parte que me toca. Tambem tenho uma "ruma" de gente por dentro ( Maria tem umas 15!)mas resolvi mandar pro blog o personagem principal. Devido ao homônimo, alguns me perguntam se uso pseudônimo. Não. Sou Bernardo Palmeira Guimarães, minha cara é a que está aqui e, realmente, não gosto de música e teatro.
E sou fã da Aeronauta.
Ela é meu idolo
(Antes das cenas de ciumes, Maria também é, além de paixão)

Marcus Gusmão disse...

Quem te lê no Licuri que te compre. Esta ironia de Soraya resume tudo. Mas se somos personas até pra nós mesmos, quem dirá pro outro? Escrevo pra descobrir o que penso, já disse alguém. E é verdade.Às vezes me apresento a mim mesmo nos posts. E me surpreendo. Como vou querer "verdades" de uma pessoa dessa? Mas o interessante de tudo é que mesmo "mentindo", mesmo sendo "verdadeiro", a gente se desnuda para o mundo, porque os olhos alheios vêem o que nós nem imaginamos nem suspeitamos. Só sei dizer que gosto, e gosto muito de ler as pessoas que se revelam nos seus blogs. Especialmente esta sua aero pessoa.

maria guimarães sampaio disse...

Aero,
os Guimarães vão endoidar você(s).
Beijos Maria

Renata Belmonte disse...

Lindo, Nauta. Mas não somos personagens uma para a outra e quero dizer que me orgulho muito da minha condição de amiga. Você, a de verdade, tb é muito especial.
Bjs

Personagem Principal disse...

"Afinal os sentidos que conseguimos através de nossos personagens servem para isso: para finalmente tocar o que nos parece invisível".
Nauta, vc disse tudo o que eu sempre quis dizer e nunca consegui. No mais, quase que não imagino como vc deve ser. Vc já é doce, compreensiva e escreve coisas acolhedoras demais... pra quê idealizar algo além disso? Bjs. :)

M. disse...

Como a Renata, eu também sinto orgulho por poder chamá-la de amiga. Tantas vezes, tantas vezes você me salva. Obrigada por existir e por ser tantas, e sempre alada. M.

aeronauta disse...

Obrigada amigos, por tanto carinho!

LÍVIA NATÁLIA disse...

Mesmo os que te conhecem, Aeronauta, te re-conhecem. E cada encontro é uma descoberta doída e feliz!

Eliana Mara disse...

Para mim, ter um blogue passou a ser como ter uma casa. Uma casa construída no sonho, com direito livre de remodelar, de modular, de calibrar. A realidade chega no teu blogue filtrada com um lirismo forte, e também com um olhar atento aos detalhes que as situações muitas vezes escondem.

Prazer em conhecer!