domingo, 18 de janeiro de 2009

Divagações...


Janeiro sempre será silencioso. O telefone toca pouco. As pessoas dormem muito. Outras viajam, rumam para o mar, ou para a serra. Eu viajo tanto o ano inteiro que me dei ao luxo de passar as férias em casa. Dormindo. Lendo. Vendo as horas passarem, minuto por minuto, exaurindo cada segundo. Se já conhecia a solidão em outras esferas, agora a conheço como pessoa. A dita dorme no quarto ao lado. Não conversa nada: é muda; tão muda que não usa códigos. Silente, acorda cedo, perambula pela casa, olhando as horas mortas. Usa roupa de outras eras: vestido longo, mas não preto e sisudo... Branco, isso; o vestido que usa - único - é branco, quase translúcido.


Imagem: www.flickr.com

3 comentários:

Chorik disse...

A diferença das nossas solidões é que a minha é maltrapilha e a tua em branco translúcido te inspira textos absolutamente deslumbrantes.
Cada vez mais encantado.
Bj

maria guimarães sampaio disse...

Essamenina... se há uma coisa boa é ficar quietiiiinha den de casa...
O texto está bonitíssimo.

intelligence disse...

prada bags
prada wallets
prada bag
prada handbag
prada handbags