sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Noturno


EIS A MINHA ALMA


Eis a minha alma - nos últimos dias -,
Diante da fria intempérie do teu dorso.
Eis a minha alma - em curso, sozinha.

É o que te dou, o que te dei, tão minha:
A alma - terna, líquida, eterna, inquieta,
E a poesia: ávida pétala pendida, tão nua.



Imagem: "Lua da alma", por Sérgio Boeira.
(www.flickr.com)

3 comentários:

Janaina Amado disse...

Nossa, que linda! Sabe que ontem à noite eu vi esta sua alma, reparei nela daqui?
Saudade, aero! Tô de volta. Muito obrigada pelo seu chamado lá no meu blog. Atendi.

Personagem Principal disse...

Nautita, muita saudade tb! Minhas leituras estão todas atrasadas e não consigo pensar em nada para atualizar o blog. Mas acho que volto segunda... quero só aproveitar meus últimos dias de pernas pro ar. Rs... Beijão.

Maria Muadiê disse...

Poesia!
ávida pétala pendida, que lindo!
beijo, querida.