sábado, 13 de junho de 2009

machadiana


Sou uma mulher machadiana, silenciosa e entrada em anos. Minhas mãos não têm mais a suavidade dos vinte, e a conversação que proponho é tímida, reticente, sem qualquer esperança. Ganhei com o tempo um rosto severo, com marcas delimitadas pelo espelho mais cruel. Nele nem o meu sorriso é como era: quando se abre, uma nuvem se aproxima em confidência íntima, eterna. Meu corpo sem filhos ganhou o contorno dos rios já vividos, sinuosos e vastos, e nas frestas de minha pele habitam peixes como se no aquário estivessem. Veias partidas aparecem nas minhas pernas, condenando-me à mais primitiva das belezas, à ternura das mais antigas pedras. Meus cabelos, como plantas aquáticas, crescem, crescem, e fios brancos despontam, pálidos, errantes. Tudo em mim é natureza se transformando, árvore plena carregada de troncos.


Imagem: Sépia, por Maggie2012.
(www.flickr.com)

28 comentários:

Ulisses disse...

Ouvindo tua escrita lírica, ressoam os versos cantados por Bethânia: "...Já sei olhar o rio por onde a vida passa".

LÍVIA NATÁLIA disse...

Como não publicar estes textos???
Muito lindo, forte, bravo mesmo em se revelar tanto assim - não a você mesma, claro. Sem essencialismos, por favor!!! A escrita é isso, é este trnsbordamento de si!

aeronauta disse...

Obrigada, meus dois queridos, por estarem aqui juntinhos de mim.

maria guimarães sampaio disse...

Beleza. Comovente.

M. disse...

Linda essa sua descrição das mudanças, da maturidade e, sobretudo, a aceitação tranquila das transformações. Plenitude. Beijos.

Maria Muadiê disse...

belo, belo!

Nilson disse...

Muito bom. Bom demais.Maturidade, serenidade. Força lírica!

Chorik disse...

Mais um doce fruto dessa belíssima árvore pela qual minha alma passarinha se apaixonou.

gláucia lemos disse...

Como você escreve bem! Parabéns! Nunca visitei seu blog porque o "aeronauta" não me pareceu atraente, pensei em uma menininha superficial. Mais uma vez o engano da aparência! Pretendo voltar a ler seus textos, para meu prazer. Sua escrita é madura e fluente.

Renata Belmonte disse...

Maravilhoso como sempre.
Bjs

Janaina Amado disse...

Gostei tanto deste texto que me permito dois palpites: "nadassem", em vez de "estivessem", e "condenando-me" (mais machadiano), em vez da próclise.
Lindo!

Andréia M. G. disse...

Cada vez que venho aqui me encanto com as coisas que você escreve. Sem palavras.

Gerana disse...

Excelente!E fico feliz ao constatar que Gláucia Lemos também foi seduzida. Enfatizarei exatamente este efeito, este poder que os blogs têm.

Eliana Mara Chiossi disse...

leve você e sua versão machadiana. aparece para me dar um abraço, nesta hora que parece ser de euforia, mas é uma hora de tantas dúvidas... aparece por lá... mesmo que eu não saiba...

Mara Vie disse...

Eis a grandiosidade de sua beleza, no amplo sentido que ela tem: da beleza poética, da beleza de ser quem se é.
Beijos!

Bernardo Guimarães disse...

quando crescer,quero escrever assim...

imonizpacheco disse...

Falar da maturidade com essa beleza é incrível. Já disse antes, gostaria de escrever como voce, mas hoje fico com Bernardo: quando crescer quero escrever assim. Lindamente.

Lisi disse...

Ufa!!!!
Falar do tempo e seus efeito sobre o homem não é uma tarefa das mais fáceis, mas para você...não há dificuldade com as palavras!!!
Parabéns mais uma vez!!!

karina rabinovitz disse...

absurdo de lindo!

Marcus Gusmão disse...

Corpo e alma. Perfeito.

bípede falante disse...

Denso, realmente criativo e bastante inspirador.

Edu O. disse...

Que beleza de imagens!!!!

Mirdad disse...

"Veias partidas aparecem nas minhas pernas, condenando-me à mais primitiva das belezas, à ternura das mais antigas pedras".

Pedradura! Belíssimo.

Carlos Barbosa disse...

Irretocável, Aérea Persona. O livro que vc costura aqui tem tutano e asas poderosas. É, na verdade, uma constante lição de como bem usar biografia na construção literária. Leitura necessária, blogue de lincagem e citação obrigatórias. Abr. (carlos)

Lidi disse...

Você escreve bem demais!

aeronauta disse...

Obrigada a todos vocês, amigos, pelos comentários. Abraços.

Anônimo disse...

Herica


Lindo demais!

inocencio disse...

Aeronauta,que loucura!
Essa entrou pelos poros, como acupuntura.