quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Abelhas


Mal comparando, estou me sentindo hoje com se eu estivesse dentro de um quartinho cheio de abelhas me mordendo, tirando jatos de sangue. Que horror! Mas só assim pra explicar a reiva, a gastura que me pega nesse exato momento. Primeiro, um calor do cão; segundo, abro as janelas pra me refrescar e o vento derruba tudo quanto é papel e quadro na parede; terceiro, o computador lento; quarto, emails e mais emails pra responder e cadê coragem?; quinto, preciso ter ânimo pra viver, ficar deitada o tempo todo não dá, pois tem um monte de plano de curso pra fazer, minicurso pra preparar, ai Deus. E sexto, o último, a bendita da tpm. E aí eu me lembro de Vitalina, antiga Vitalina de minha infância. Morava na minha rua sozinha e fazia renda cantarolando na janela. Um dia resolveu, não se sabe por que, levar flores pra mortos alheios no cemitério abandonado. Na porta, quem a recebeu foi um enxame de abelhas alucinadas. As mesmas que anunciei no início desse texto. Pois bem: as abelhas pegaram Vitalina e fizeram uma miséria com ela. Resultado: só depois de muito tempo (o cemitério como disse estava abandonado) encontraram a coitada jogada no chão, sendo comida por todo tipo de abelha: furiosa, lenta, suave, zoadenta... Todo mundo credita a um milagre de Deus sua salvação. Levaram-na para o hospital, e, pelas ruas, foram cortando roupas, cabelos, que estavam empesteados de abelhas. Nunca me esqueci de uma trança dela que vi no meio da rua. E pequetita do jeito que a sortuda era, a salvação foi coisa de Deus mesmo.
Agora acho que dá pra vocês perceberem a trabulagem (essa palavra é a cara de mãe, que adora utilizá-la) que estou sentindo hoje. Não se importem não: esse blogue pra mim é divã, por isso é que não mostro a cara.

Imagem: www.imagens.de

6 comentários:

Personagem Principal disse...

Se Vitalina sobreviveu, imagine vc, Nautita.
Não vai nem precisar que te cortem as tranças. Tenho certeza. Beijos. :)

Bernardo Guimarães disse...

respeitamos seu anonimato; mas se soubessemos quem é, nessas horas dava pra dar uma corridinha até aí, espantar as abelhas, dar um abraço, ficar sentado num canto quietinho pra não futucar a tpm ou convidar para um sorvete na ribeira. num instantinho passava.

maria guimarães sampaio disse...

Aero,
"Não se importem não: esse blogue pra mim é divã, por isso é que não mostro a cara."
por essas e outras que a doidia aqui já foi hoje à psicanalista e ao psiquiatra. Ela e ele me acham ótima e dão risada. Será que vou enlouquecê-los?
Aqui é doidice pra ninguém botar defeitos.
Beijins de Mariquins

Maria Muadiê disse...

Vixe, coitada de Vitalina. Mas também que idéia! Levar flores a desconhecidos!!
Ainda bem que o final não foi trágico.
bjo

maria guimarães sampaio disse...

Aero,
a encomenda chegou. Confirme com Edilson (está certo o nome?) e me mande o endereço direitinho. Sábado ou segunda o positivo chega lá.
Beijo de maria

Chorik disse...

Olá... me aprochegando por conta de links nos blogs de Marcus Gusmão e Don Maria. Acho que vc só inverteu a ordem das coisas. O sexto motivo é a causa, os de um a cinco só consequências. Isso significa que passa logo. É a beleza de ser mulher cobrando seu preço aeronauta! Bjs