segunda-feira, 3 de novembro de 2008

O retratista amador


Pai comprou uma máquina de tirar retrato e passava o dia inteirinho procurando paisagem. Só que ele era muito nervoso: com as mãos tremendo, pegava na máquina, mirava e não acertava o alvo. Foi por isso que na festa de São João cortou minha cabeça e a cabeça de meu par, além de cortar as pernas de outros colegas que dançavam "rancheirinha".
Eis a razão de eu não estar "de corpo presente" na foto aí em cima. Da esquerda para a direita: minha irmã, Aninha, Gal e Fátima. Cadê eu? Resposta: Nos pés das meninas. Segundo pai, era a localização perfeita para que eu pudesse sair no retrato.

9 comentários:

Edu O. disse...

eita retratista bom!!!!

maria guimarães sampaio disse...

Graaande retratista!

Bernardo Guimarães disse...

msrsvilhs s foto "colorida", as meninas empedernidas, o sifá personagem principal. e a aeronauta? esfumaçou-se...

Marcus Gusmão disse...

O enquadramento está perfeito. Seu pai na verdade queria mesmo era fotografar o sofá. A culpa de você ter ficado fora da foto? Menina da Ilha, é claro. Note que ela ocupa o centro da foto, deixou o único espaço que sobrava para as amigas e... batata. Aeronauta de fora.

Carlos Barbosa disse...

Concordo com o Marcus. O sorriso da Menina da Ilha comemora a já sabida ausência da Aeronauta da foto; tudo combinado, não resta dúvida. O jogo era pesado. A hora é de descontar, Aérea Persona. Abr (carlos)

Menina da Ilha disse...

Até tu Carlos? Será que não sou também responsável pela crise mundial? A culpa foi de Aeronauta que por viver no mundo da lua não percebeu que cabia direitinho no sofá que estava vazio e que saiu aí na foto para comprovar o que digo.

Anônimo disse...

Cabe mais um fora do enquadramento?

Maria Judith. disse...

Olha que desde aquela época você já tinha o pendor pelo mistério...

Maria Judith. disse...

Vixe! Diga a Carlos Barbosa, o escritor de verdade, para não elogiar muito Morte Abjeta, senão Bernardo vai sumir de novo...