sábado, 6 de dezembro de 2008

Ainda fora da moda

Acordo hoje razoavelmente cedo. Vou à cozinha. O que vejo lá é uma cena dantesca, melhor nem descrever. Só digo pra vocês que o coador fracassado reina mais do que fracassado no meio do horror. O que fazer? Tomar café na rua. Pois que não sou besta de trabalhar em jejum.
Saio, tranco a porta e chamo o elevador. Escuto um barulhinho de porta fechando e resolvo ser caridosa: seguro o elevador para esperar a vizinha. Vizinha de vista, algumas vezes de prosa avulsa, sem maiores intimidades.
Nós duas dentro do elevador. Aperto térreo. Vejo que ela sente necessidade de puxar prosa avulsa, e fala do calor. Como Salvador é uma cidade quente; marca pra chover e não chove! E se abana, coitada, toda vestida de roupa esporte para o seu cooper matutino. Até de boné a dita estava.
Nisso, o elevador pára no primeiro andar. Entra uma senhora, vestida para ir à missa. E faz uma festa quando encontra a outra!
- Ô Lia [estou inventando o nome], Ô Lia, você melhorou?
- Um pouco.
- Um pouco não! Olhe lá, pensamento positivo! Po - si - ti - vo!
- Mas estou melhor.
- Não pode dizer que está melhor! Tem que dizer que está ótima! Ótima! Ótima! Ótima!
Fiquei só observando. Só observando. Queria defender a outra, a que ia fazer cooper, e que estava melhor, mas que não estava ótima, porém apenas desci, dei tchau para as duas e fui tomar meu café.

6 comentários:

Janaina Amado disse...

Maior simpatia pela vizinha que só estava melhor.

Chorik disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Chorik disse...

Tô que nem essa Lia, ouvindo muita gente recomendando que eu diga ótimo quando quero dizer na mesma. Que eu não diga "vou tentar", mas que diga "já consegui". E nem caminhada faço mais. Durmo 11 horas por dia, me alimento, sento na frente do laptop e paro na hora de ir dormir. Mais fracassado que teu coador. Quase sentando no Papai Noel, com a minha bunda na cara dele.
Apesar disso, torço que nossas postagens sejam ficções. Pelo menos as suas.
Bj

Bernardo Guimarães disse...

Velha chata!como se as pessoas tivessem obrigação de estar sempre "ótimas"!
Por isso ela frequenta missa, eu acho...

leve&solto disse...

Muito bom!!!

Adorei seu blog... Detestei a vizinha... Acho que eu sou você...rs Detesto conversar no elevador!!! rs

Ahh, cheguei aqui através do Chorik.

bj

Mara

Nilson disse...

Você foi fundo nesses dois textos. Parece mesmo que saiu de moda essa coisa da vida como ela é: como diz essa vizinha carola, o negócio é sintonizar com a vida como ela deveria ser. Se a gente for pensar bem, essa atitude eu acho que tá por trás inclusive da tal crise internacional: a economia, como o humor da gente, tem que estar sempre pra cima, pra cima. Se não estiver ótima, só pode ser a recessão. Que praga!