sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Corpo na realidade


Todos já sabem que a minha doença é não sentir meu corpo na realidade. Acordo - o mais difícil momento - e vejo que preciso agir. Primeiro, meu corpo precisa levantar da cama. Que sacrifício! Já disse Borges que a prova de que o homem não é só matéria é que ele vive num outro universo pelo menos umas oito horas por dia (dormindo, claro), e é irrefutável que nesses momentos ele também está vivendo. Pois bem, Borges me entende. Pois que sinto que esse outro universo é melhor, porque acordar , de fato, é algo complicadíssimo. Chamem isso de preguiça, de indisposição, de depressão, de qualquer nome. Eu só sei é que acordar é a primeira grande batalha do dia dessa vivente aqui. Erguer meu corpo da cama, lavar o rosto, fazer o café e depois ir pra labuta, é como se preparar para ir para a guerra. Por isso muitas e muitas vezes prefiro não levantar; fico horas na cama, buscando me acolher em nuvens vagorosas e confortáveis. Mas o Mundo bate na porta com suas mãos de ferro, esmurrando. Aí eu tenho que mostrar serviço, pois estou aqui embaixo, e não lá em cima, apesar de minha cabeça dizer o contrário. Levanto e vou abrir a porta para a sua majestade, o Mundo, entrar. Ô homenzarrão bruto. Hoje ele esmurrou a porta, aliás, botou a porta abaixo, e deixou uma lista sobre a mesa, com vários itens: 1. lavar os acumulados pratos sujos na pia; 2. arrumar a casa; 3. comprar o gás; 4. fazer feira [aqui em casa só tem bolacha creme cracker]; 5. Viver, viver, viver.
Achei esse último item muito desaforado: "viver" escrito três vezes. Parece que com esses três "viver" o dito cujo me dá três tabefes na cara.
Agora me lembrei que ontem, conversando com uma amiga, essa me aconselhou a fazer algo para poder finalmente estar na realidade: sair do yoga e entrar no boxe. Vocês acham que funciona?


Imagem: "Dom Quixote desolado". Por Domingo Soto. In: www.flickr.com

15 comentários:

maria guimarães sampaio disse...

Perfeita a idéia da amiga. Larga a yoga e vai pro box! Muitcho bom, animador. Ou então toma um remedinho acordador. Beijim di maricotim

Anônimo disse...

Bata, minha cara, bata bem forte. E não precisamos de luvas, ringue, nada disso. Basta três passos fora da cama.Esmurre, esmurre com força. E por Deus, deixe sangrar.

Marcus Gusmão disse...

Acho. Tailandês. Porque além dos punhos, você pode usar também cotovelos, joelhos, canela e pé...

Janaina Amado disse...

Eu acho melhor você ir lá praquela rede amarela do meu blog. Sai da cama uma vez, vai pra rede, e pronto - pode ficar lá pra sempre. Lindíssima escultura.

Chorik disse...

Caracas, aeronauta, tô que nem tu. Só não parto para o boxe porque se eu tirar os óculos não enxergo o Mundo. E pra desviar dos socos dele não tenho a agilidade do Bush. Ou seja, se é pra apanhar, fico em casa mesmo.
Um pedido. Só não pare de escrever. Sou apaixonado pela tua escrita. O Mundo fica mais calminho depois que eu passo aqui.
Bj

Bernardo Guimarães disse...

porrada às vezes empurra a gente: dar e receber. yoga é bom mas não tira a bunda da gente do chão...

Renata Belmonte disse...

Nauta,
O corpo é em si próprio uma realidade. E talvez por isso nunca me dei muito bem com o meu: prefiro a ficção. Boxe é uma boa idéia. Vingar-se do imponderável, algumas vezes, é a solução.
Bjs

Carlos Barbosa disse...

Só temo no caso a academia para a prática, mas o boxe deve ser desopilante. Mais que uma idéia, boxear parece uma proposta de vida interessante. Em que faixa de peso vc lutaria? Peso Leve, Peso Pena, Peso Aéreo? Vamos lá, Menina de Ouro, nocauteie as manhãs. Abr. (carlos)

Nilson disse...

Sou mais a yoga. Tô voltando agora, depois de meses fora por conta da torção no pé. Vou falar agora que nem o mundo: cê faz todo dia? Tem que fazer yoga todo dia!!!

Anônimo disse...

Aeronauta, acho essas receitas caseiras para "sair da depressão" uma bobagem. Coisa de quem nunca teve a sensibilidade para sentir as nuvens como vc...
E quanto ao boxe, só teria resultado se vc tivesse um boneco para bater com a cara e o corpo de uma amiga dessas, aí vc poderia descarregar a energia....rs
Quando o mundo bater em sua porta, saia e deixe ele falando sozinho...

M. disse...

Melhor fazer esgrima, já que não há nenhum esporte para vc treinar com o seu facão. Beijos, M.

monica de arruda disse...

Acho que seu caso não é pra ringue é pra divã e mesa de bar, mas, se aceitar a sugestão avisa que corro lá com Menina pra assistir.

Maria Muadiê disse...

Cotidiano:

da cumeeira
do edifício
de sonho
no derradeiro suplício
me
jo
ga
rei
- de cabeça –
no balde
de realidade.
Es pa ti farei-me
na queda
espalharei-me
pelas bordas.

Martha

Críticas Criticáveis disse...

Sei bem oq é isso. As vezes falo para os quatro ventos: Hoje estou com preguiça de viver!!!
Feliz natal Nauta

aeronauta disse...

Maria: obrigada, sempre, pelas injeções de ânimo.
Anônimo: vou fazer o que você recomenda.
Marcus: boa idéia!
Janaína: Uma rede seria o ideal mesmo.
Chorik: obrigada: sua generosidade me comove.
Bernardo: yoga tira, sim, a bunda do chão, meu amigo!
Renata: você sempre com as palavras certas.
Carlos Barbosa: "Nocautear as manhãs": ótimo.
Nilson: tem razão: deveria fazer yoga todos os dias.
Anônimo: boa idéia essa de deixar o mundo falando sozinho...
M.: vou pensar no conselho.
Mônica de Arruda: Obrigada. Mas parece que meu caso é falta mesmo de mesa de bar.
Martha: que poema maravilhoso! Lindíssimo!
Críticas: que saudades, querido! Feliz Natal pra você também!