segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Cenas do cotidiano (2)


Mãe no rio lavando pratos e dois meninos perto dela besourando. Moravam na nossa rua. Rua da Ilha. Rio de um lado, rio de outro. O pai dos meninos era um soldado que ficou da janela, numa tarde, vendo um fazendeiro bater num empregado, sem fazer nada. Esses dois meninos eram remelentos, que nem a casa deles. O menor só vivia nu, pra cima e pra baixo, nunca o vi com roupa. A mãe era uma desmazelada, só andava nas portas falando da vida alheia. E os meninos no rio tomando banho. Foi numa tarde assim que o pai, à paisana, munido de uma máquina fotográfica registrou aquela cena corriqueira, repetida, cotidianamente igual. Porém hoje, extraordinária.

5 comentários:

Menina da Ilha disse...

Quem são esses? Não lembro de jeito nenhum. Pensei que fossem os filhos de tia Lia. Eta mulher que lembra de coisa antiga...

Marcus Gusmão disse...

Dezmazelada. Há quanto tempo não ouço esta palavra. Tenho vivido com a alma desmazelado estes dias, cara Aeronauta, com o pensamento também no passado. Descobri que o antigamente é o meu tempo. Nisso somos almas bem parecidas.

Chorik disse...

Conta essa história direito Aero, nem a mana reconheceu...rs

Maria Muadiê disse...

Agora entendi porque a Menina é da Ilha.
Não tinha visto a sua resposta. Obrigada, adoro quando você gosta.
Olha, realmente não tem nada demais passar reveillon sozinha. Também já superei essas coisa, não posso estar sozinha é em minha vida, no dia a dia.
Beijos

Edu O. disse...

Quanta coisa bonita!!! Felicidade e obrigado pela visita ao blog.