segunda-feira, 6 de abril de 2009

anônima


O que nos leva a batizar-nos de 'escritores'? Só o fato de escrever? Não quero essa legenda. Escrevo, mas não sou escritora. Por isso não participo mais de convescotes. Saraus? Deus me livre! Entrevistas e recitais em Bienal? Estou fora. Pra que ter vida literária? Pra quê? Pra estar em voga? Vocês juram que se eu resolver participar do Café Literário alguém publica meu livro? Nem assim eu vou. Por que, meu Deus, irei ler meus poemas no Centro de Convenções? Quero ser anônima, anônima, anônima. Completa e absolutamente anônima. Como sempre fui.



Imagem:www.flickr.com

8 comentários:

maria guimarães sampaio disse...

ah Aero... não é para estar em voga não, mas para ter o prazer de ter leitores. Quando escrevo, escrevo sem nem pensar em quem lerá (ou não lerá). Mas quando o bichinho fica pronto, ái que alegria saber que estou sendo lida.
Sábado mandei um para o registro na Biblioteca Nacional - quando segue para lá é porque dei como pronto.
Estou curtindo demais o que estou escrevendo.

Nilson disse...

Me sinto mais à vontade como 'blogueiro'. Sei lá como é ser escritor!!!

imonizpacheco disse...

Pois é Aeronauta, pensamos de modo parecido: pinto telas e tudo que vejo pela frente, mas não quero rótulos. Se alguém vir meu trabalho e gostar, já estou feliz!
Porisso o blog, para que outras pessoas vejam o que faço, não é preciso me ver.
Obrigada pela visita.

aeronauta disse...

Oi, meus queridos amigos escritores: adorarei ir lá na Bienal apreciar a poesia e a prosa de todos vocês. O fato de eu não participar como 'escritora' não quer dizer que não estarei lá para prestigiá-los, aplaudindo-os sinceramente. (Escondida, claro!)

Katia Borges disse...

Oi, Aero. Eu, por mim, não faço questão de ser convidada. Mas se convidam, vou com prazer. Não para aparecer ou estar em voga, mas para brincar de ser escritora, conversar, falar poemas, ouvir poemas, vencer a timidez, conhecer gente e, quem sabe?, ganhar um leitor a mais.

guilhermina, (ataulfo) e convidados disse...

anônima? pensei que fosse aeronauta... me basta, mas acho que merecias mais. adoro este espaço que vc me empresta.
Bj
Guilhermina

Marta F. disse...

Não se sabe o que acontece,o pensamento pressiona a se manifestar, materializar, escrevo...acho que para dizer de modo mínimo o que acho. Achei a poesia a melhor via. Quando tento me estender sou um fracasso. Já você tem um jeito para textos corridos, e também mínimos, sem excessos...Tão escondida, difícil chamar-lhe amiga.
Carinho muito terno lhe tenho, saiba.

aeronauta disse...

Guilhermina e Marta F.:

Obrigada pelo carinho: gosto demais da presença de vocês por aqui.
Abraços.