domingo, 27 de julho de 2008

Cantar

Agora crio a coragem de contar pra vocês um segredo: gostaria de ter sido cantora. Quando menina sonhava, com gulodice, em praticar todas as artes, até a tocar piano! Só havia dois pianos na cidade: o de dona Alba e aquele que eu guardava na minha cabeça. Depois fui ficando mais modesta, querendo tocar violão. Este talvez fosse mais fácil, o difícil foi conseguir aprender a tocar uma música inteirinha na primeira aula (ah, essa minha fatalidade!). Desisti. Mas o sonho de ser cantora continuou como uma ferida que não dói. E nas muitas noites em que sonho soltando a garganta em grandes estádios (minha irmã, irônica, interpreta esses sonhos afirmando que eu seria sim uma cantora, mas uma cantora gospel), nessas noites realizo a misteriosa catarse. Sei que deve ser uma coisa de outras dimensões de realidade: no palco, quem é feio fica bonito, pois que a alma aflora para que todos a vejam. E a alma - seja de quem for - é sempre bela, imponente, encantadora. E é no palco, cantando, que ela se deixa ver em seus mistérios e contato com os anjos.

4 comentários:

maria guimarães sampaio disse...

Aeronauta,
primeiro eu ia deixar de abonar seu ponto pelos dias não comparecidos!
segundo, agora tenho mais certeza: você "deve" ler Rosália. Talvez Rosália seja a cantora que todas nós (desentoadas ou que tais) não fomos.
Beijos Maria

Carlos Rafael Dias disse...

"... e como é bom poder tocar um instrumento..."

Mônica Menezes disse...

Eu também quis ser cantora. Agora canto no chuveiro. Beijos

Bernardo Guimarães disse...

Se vc cantar tão bem como escreve, faça carreira; estarei na fila do gargarejo!