quarta-feira, 30 de julho de 2008

Minha Santa Cecília



Minha Santa Cecília,
povoai o crânio de quem amanhece
com a alma escapada da poesia!
Dai-me, Santa Cecília,
teu cajado emprestado
e eu vou pastorear minhas nuvens
levando-as para bem longe...
Ah, minha Santa Cecília,
Desce de onde estás e aquece
esses versos sem paradeiro certo
esses versos de sons quebrados
esses versos feios e mal-feitos
Adornai, minha Santa
a alma de plantas e palavras
e quando eu acordar bem cedo
soprai para mim duas vezes
o mais leve segredo

11 comentários:

maria guimarães sampaio disse...

arrasaste, poeta.

Mônica Menezes disse...

Que coisa mais linda!

Carlos Rafael Dias disse...

Santa Cecília,
Patrona da Música e da Poesia,
Guardai-nos
No espaço lírico e infinito
Dessa existência!

Bravo, Aeronauta!

Kátia Borges disse...

Querida, que deslumbramento! Não resisti e coloquei para iluminar o Madame K, com o crédito da Aeronauta. Beijos (e que Santa Cecília nunca nos desampare).

poetriz disse...

Lindos versos!
Parabéns!

Carlos Barbosa disse...

Caramba, que beleza, Aérea Persona. Cecília é nome da minha avó materna, aquela que me aparou, e que continua na família em duas primas. Abr. (carlos)

Bernardo Guimarães disse...

Repeti a leitura tantas vezes,
como um mantra.
Obrigado

Nilson disse...

Santa poesia, batman! Deixei de ser católico, mas essa reza transcende!

Maria Muadiê disse...

amém.

Renata Belmonte disse...

Sempre lhe digo isso, mas repito: sua poesia é fantástica. Fico arepiada.
Beijos,
Renata

aeronauta disse...

Obrigada, queridos, que nossa Santa proteja todos vocês.