quinta-feira, 17 de julho de 2008

Saudades

17 de julho. Se ele estivesse aqui, seu cabelo deveria estar quase todo branco. Como se encontraria o seu rosto? E suas mãos? Lembro exatamente das unhas compridas, das mãos suadas, de um talco que ele usava nos pés. Lembro com nitidez das sandálias havaianas amarelas, sempre embaixo da cadeira da sala de jantar, esperando a sua volta às seis horas da tarde. De suas camisas penduradas no cabide do quarto. Sinto o cheiro delas ainda hoje. E o formato de seu corpo na cama? Gostava imensamente de tirar uma sonequinha à tarde, ouvindo o querido rádio de pilha. Ao acordar, ia direto pra cozinha tomar café. Depois saía para a rua, para o trabalho, ou para a prosa com seus amigos na praça. Era o "gasguito", como mãe o chamava, com ironia. Era meu pai, ali na praça, vivendo.
O que ele estaria fazendo hoje? Procurando mais uma vez sua agenda? Vestindo a camisa bonita que compramos? Lendo os cartões de aniversário?
Certamente estaria ratificando, em todos os minutos do dia, sua idade: 71 anos. Idade que agora se dilui nos 56, eternos cinqüenta e seis... desde aquele junho.

7 comentários:

Kátia Borges disse...

Ah, querida, precisamos lidar com uma saudade que não cessa. Perdi meu pai em 2002 e hoje, sempre que sonho com ele, acordo feliz, com a sensação de tê-lo visto de novo.

maria guimarães sampaio disse...

Se puder entre no blog xeudizer. Também como o seu e o meu de hoje fala dessas saudades boas que gente como nós sente, crianças amadas.
Abri seu blog mais cedo. Ao meu lado, uma amiga iniciante em computador. E de toda a "aula" ela só se interessou e se interessa (telefonou mais uma vez agora) com o "mistério da aeronauta" - batismo dela.

Anônimo disse...

Aeronauta, linda homenagem... Impossível ler sem se emocionar...
Penso nos milhares de blogs inúteis e sem vida que existem pela internet, enquanto que neste vc coloca a sua alma com tanta coragem. Continue, eu sempre vou ler o seu blog.

Acho que Ele sempre estará aqui...
p.

M disse...

Sei bem o que é essa saudade. Lindo texto.

Carlos Rafael Dias disse...

o pater familias
saiu pra comprar o pão
e não voltou
mas nunca esqueceu de frumentar
a nosso desjejum de cada dia

Personagem Principal disse...

Saudade é sinal de que vc tem muita coisa boa pra lembrar, Nauta. E são suas lembranças que fazem todo mundo ser apaixonado pelo seu blog. Beijocas.

Críticas Criticáveis disse...

Meu pai se eternizou aos 53 e tb fico imaginando como viver sem ele por muito tempo