terça-feira, 19 de agosto de 2008

Cumplicidade

Os versinhos abaixo resgatam a lembrança mais terna que tenho de mim, e que me foi contada por mãe. Marcam uma das minhas primeiras interrogações diante do mundo...

DIÁLOGO

Aos dois anos - depois eu soube -
conversei com um pintinho no quintal.
Perguntei a ele algo tão natural -
que até hoje me intriga, como o amor -
Perguntei se ele também sentia
dor de barriga, como eu.

4 comentários:

Nilson disse...

Legal. Com a delicadeza e o lirismo de sempre por aqui.

Kátia Borges disse...

Oi, querida, sempre passo pra uma visitinha. Sua foto lembrou uma que tenho, guardada não sei onde. A família toda na festa da Conceição da Praia. Beijos enormes.

Mônica Menezes disse...

Gosto de poesia assim: simples, despretensiosa, lírica. Linda.

Maria Muadiê disse...

ô lindeza.